sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Lésbiônica – Guitarra – Xilarmônica

Robótico-sentimental
De fios em curto, curtos fios sonoros
Tensionados, tencionando a tensão de um tesão errante
Extasiado, querendo viver.

Quem te protege da chuva e da ferrugem?
Teu corpo metálico? Teu cobre em curto?
E teu coração biônico? Quem o alimenta?
Por onde corre teu óleo, se não pelos teus olhos?

Transformas-te em canção...
Tenciona teu tendão
E do ruído mais amargo
Lança teu pulsar venal.

Tuas veias frigidas, feitas de ferro, cobre e aço
Guardam a canto da vida... Um grito belo, xilarmônico!
E teu coração biônico... No pulso harmônico
Tenta ser orgânico.

Apodreces e enferrujas, desmanchas a carcaça
Como se não fosse viver, e na vida, ressonar
E teus sons metálicos, Lésbiônica Guitarra
Nada são se não o som do teu amar.