domingo, 23 de junho de 2013

A Quimera me comeu.

Mente pra mim, por favor!  Só mente pra mim. Eu quero minha utopia, eu quero meu final feliz! Mente pra mim, me faz acreditar, eu não quero nada real, nunca mais.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Quimera I

A vida fez tua verdade
E da verdade, teu grilhão.
Minha doce quimera, agora domada
Te ofereço minha oração:

Antes que teus olhos mergulhem no ultimo olhar...
Lembra-te - a vida é doce
E mesmo que tarde fosse
Nunca é tarde para amar.

Ama com Âmago!
Com teu cerne, ama com tua carne!
Expõe tuas vísceras...

Quando fechares teus olhos, não acredita nas mentiras
Não te seduz pelo escuro, pois nada não há.
Cada pilar da noite há de conter um sorriso luminoso
E um coração caloroso há de te encontrar

Quando, enfim, teu coração se aquecer
Tua alma água há de se tornar
Teu grilhão hei de derreter
Minha doce quimera, tu tens que amar!

domingo, 9 de junho de 2013

A Poe'tiza

Não há poesia que vá te salvar
Tão pouco amor que te toque o coração
Nem a luz do dia pode te iluminar
Teu corpo jaz no caixão

Sacrifica teus amores, minha amada quimera
Em busca da tua métrica sedutora
Sacrificou tua autora
Tua obra eviscera


Junto às mãos por ti – Durma bem
No Sono eterno
Para sempre... minha amada quimera
...Para sempre, Durma Bem.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

O Musicista

Lembrar da tua voz:
Hoje ela é um mistério
E eu me sinto velho
Por não lembrar

Foram dez palavras
Já nem lembro mais
Nem importa mais
O que foi falar?

Talvez sobre o céu...
Ou pode ser o chão...
Falar sobre o léu...
Ou não.

Ainda assim, eu queria lembrar,
Lembrar da tua voz,
Das dez palavras
Do teu olhar

E eu já nem lembro
Da casa dos teus olhos
Onde dormem teus sonhos
Quando te vi passar.

Por um breve momento
Sob esse lamento, me pus a pensar
Se é da tua voz que eu sinto falta
Ou se minha falta é teu olhar.