sexta-feira, 22 de março de 2013

Viajante dos céus


O céu falou comigo hoje
Me contou histórias
Feitos de lugares que jamais conheci
E então partiu

Vi seu belo manto deslizar em direção a um futuro
Em direção a outro tempo, outro lugar
Só então entendi onde estava
Quem sou.

A melodia daqueles lábios suaves
Penetrou meu ser
Quebrou meus grilhões
Me ensinou a voar

E se eu te esperar, novamente, no mesmo lugar
Você falará comigo? Virá me encontrar?
Ó céu que me contou histórias
Tenho tanto a te contar.


Dedicado ao stress, as nuvens de Outono e a Utada Hikaru

quarta-feira, 20 de março de 2013

Anatomia / Porque os boêmios bebem.


Eu fui salvo por aquele suspiro
Aquele resquício de alma
Que nada havia por oferecer
Se não aquelas partículas de ar

Aquela alma inflou meus pulmões
Aquele gás toxico que houveram por chamar de “amar”
Me corroeu as entranhas, me deixou aberto o tórax
Revelando o pulsar venal

Tão cru e delicioso
Explodindo no escarlate do doce vinho
Tão intimo, tão cru
...Tão meu.

As falanges o entornaram
Os lábios saciaram-se no meu liquido
Só quando dei por mim, fui devorado
E o meu corpo, a garrafa, já estava nu.