domingo, 26 de fevereiro de 2012

Coisas que ele me contou

Ele me disse que toda dor é suportável
Que nada dói pra sempre

Eu acreditei em cada palavra...
Cada sentença...
Acreditei o sorriso mais belo
E nos olhos mais sinceros

Nada dói pra sempre, disse ele
Toda dor é suportável
Mas me diz o que é isso no meu coração
Me diz que dor é essa que dói sem doer?

Ele chamou de vazio
Eu chamei de solidão

Então eu senti
Vazio e solitário, o oco coração pulsante
E das dores mais profundas e mesmo assim indolores
Eu senti sair a cor mais bela...

Beleza perdida no vazio dos olhos
Escorrendo pelo canto da face e caindo no peito
Derretendo sob o coração...
Oco e pulsante coração.

Cada batida era como uma gota
Gota perdida no vazio...Na solidão.

E se apenas ele estivesse aqui
Se aquele belo sorriso e sinceros olhos
brilhassem para mim
Apenas então cada gota não seria em vão...

Mas não há fogo para apagar meus erros
Não há remédio para meu coração
Não há cura para o vazio
Não há cura para solidão