domingo, 20 de novembro de 2011

Scars

All these scars are part of mine
Those in my skin
Those inside me

All these scars are what I am
What I been through
What I waited for

All these scars get me back
Where I belong
Where I am

All these scars are going to stay
Cause’ I can go forward
Cause’ I can’t play

sábado, 5 de novembro de 2011

Confissões Mascaradas V - Final PTBR.

Meu amor
Chegou a hora de dizer adeus
E eu vou sorrir ao teu olhar
Porque não há nada que possa me curar
E dos meus lábios viram as palavras
E da minha voz, os sentimentos
E pelo meu coração você saberá que é verdade
E eu queria..
Ó! Tudo que eu queria é que durasse pela eternidade
Mas a eternidade, meu amor, foi agora
E agora, meu amor, já passou

Meu amor...Não a sua persona
Eu, meu amor, meu coração
Está cansado, abatido feito um animal
Perseguido por mim mesmo

É chegada a hora, meu amor
Hora de tirar as mascaras
De ser quem você é
De ser quem sou

Mas quem é você, meu amor?
Quem sou eu?
O que você vê, meu amor?
O que você sente?

Confissões Mascaradas V - Final

My love
Its time to say goodbye
I’ll smile through your eyes
Cause’ I can’t help being broken inside

And by my lips you’ll ready my words
By my voice you’ll read my feelings
By my heart you’ll know it’s true…

And I wish
Oh! I truly wish this to last forever
But forever, my love, was now
And Now, my love, is gone

My love...Not your persona
Me, my love, my heart
Was wasted, slaughter like and animal
Chased down by myself…

It’s time, my love
Time to take off the mask
Time to be who you are
Time to be who I am

And who you are, My love?
Who Am I?
What do you see, My love?
What do you feel?

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Confissões Mascaradas IV

Brinco com personagens
Arlequins, Pierrots, Colombinas
Brinco com as palavras
Te amo, te odeio, te espero

E quando eu te amo
Eu não escrevo no papel
Eu não escrevo de caneta
Eu tatuo na pele...No meu coração

E quando eu te odeio
Eu minto
Eu omito
Eu me odeio

E quando eu te espero
eu aguardo pela eternidade
Pelo infinito do teu amor
Que se resume a minutos

E eu brinco com personagens
Romeu, Julieta, Ofélia...

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Vertical

Meus lábios
Estão sedentos por ti

Fome essa...
Ou seria sede?
Dentro de mim, esse desejo
Escarlate ânsia pela tua carne

Pelo teu corpo...
Olhos teus, desejo...
Risos...

Forma essa que almejo
Ande logo, te desejo
Venha logo, me aqueça
Ou demore e me esqueça
Risos...

Confissões Mascaradas III

Me dispersa
Com o simples pudor de teus lábios
Me aquece
Com o deleite marcante dos teus dentes

Me excita
Com teu jeito indiferente
Me enfurece
Com tua ausência

Me confunde
Com tuas palavras pesadas
Me completa
Com teus olhos castanhos

Procuro-te
Nos vícios mais banais
Provoco-te
Com as mais ásperas palavras

Devoro-te
Provo do teu fruto
Consumo-te
Bebo da tua ultima gota

Estudo-te
És único exemplar
Desvendo-te
Teu medo é me amar.



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Confissões Mascaradas II

Meu querido...
Os dias têm sido vazios sem você aqui, as noites tem sido frias...
A musica não soa tão bem...
A comida não tem gosto...

E eu podia matar para voltar no tempo... Eu podia morrer...
E voltar seria como reviver cada sorriso, cada palavra
E morrer seria como dormir

Sono esse que me encanta, misterioso, fúnebre
Sorriso esse que me encanta, luminoso, vivido
E logo ali está o passado, a quem eu amo
E logo ali está o futuro, a quem eu temo

Meu querido...
Tudo está como deixou...
Meu futuro não chegou, meu passado passou
Meu presente? Esse parou

Parado, congelado, sem se mover...
Como meu coração
Como a morte....

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Confissões Mascaradas I

Se pudesse
apenar tocar tua face
sentir o calor do teu rosto
ver o teu sorriso
talvez valesse essa vida

Vês dentro de minha alma
vês o que meu coração tem a dizer
vês o que sou
e o que sou é essa mascara

O que sou é o que está exposto
e o que exponho, é o que escondo
(A verdade dentro de mim batalha com o que sou por fora)
e o que escondo, é o que sou.

Sentes minha alma ardem em chamas?
sentes meu coração bater?
batidas descompassadas que se espalham pelo ar
junto aos tênues suspiros e harmoniosas risadas que me faz sentir

E se pudesse
pela ultima vez ver seu sorriso
pela ultima vez beijar teus lábios
pela ultima vez dizer que te amo...

Mas não posso
e isso me mata
e isso me corrói
e não vou

Peço apenas que ame minhas mascaras
ame apenas o que eu escondo
ame o que eu não quero mostrar
e que você vê tão bem.

sábado, 30 de julho de 2011

Mithril

A espada em meus olhos
Não foi capaz de penetrar tua armadura
Teu coração, queria perfurar
Alma doce, candura;

Meu escudo não pode resistir
A tuas investidas delirantes
Dolorosas ilusões
De meus pesadelos errantes

Mas em mim carrego uma arma
Cunhada a sangue e lagrimas
Armamento que durará para sempre
Palavras nunca morrem

sábado, 16 de abril de 2011

segunda-feira, 11 de abril de 2011

A Função da Arte


"A arte não existe apenas para entreter - mas também para desafiar alguém a pensar, para provocar e até mesmo gerar disturbio, numa constante busca pela verdade " - Barbra Streisand 1995

terça-feira, 5 de abril de 2011

My Lover, Acolyte.

Made yourself sword, Acolyte...Made myself shield and staff.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Bandeira branca

Essa é minha bandeira branca
ao teu amor eu não resisto
e esse, eu não conquisto

Significa que eu me rendo
Não sou eu que vivo no teu olhar
Não é você que vem me salvar

Eu te amo...
não que isso faça diferença
não que você ligue para minha presença

Mas eu me rendo
é uma batalha que eu não posso vencer
bandeira branca para você

Ressaca

Eu bebo
todo desse veneno
todo gosto mundano
eu bebo

Eu sinto
as coisas fora do lugar
onde não deviam estar
eu sinto

Eu Vomito
tiro tudo de dentro de mim
vomito palavras e emoções
memorias e velhas canções
eu vomito

Ressaca
não é um estado clínico
ressaca é um estado de espírito
é parte de um mundo sínico
ressaca, é o que eu sinto.