domingo, 30 de agosto de 2009

I'll Swallow

"A melodia do sofrimento, um grito, o tormento.
Entre desespero e religião, se foram os moldes...
Não pertencemos a nós mesmos, somos do mundo...
Não pertencemos ao mundo, somos ele.
"

Não ando com muito tempo para postar, então vou por aqui hoje o trecho de uma canção que é de meu agrado. Se Chama Swallow, da cantora Emilie Autumn.. Espero que gostem.


Mas eu preciso mas do que essa vida
Então eu me tornei essa criatura representando mais
Pra você do que apenas outra garota
E se eu tiver a chance de mudar minha mente
Bem eu não mudaria pelo mundo
Vinte anos
Afundando lentamente
Eu posso confiar em você?
Mas eu não quero faze-lo
Eu engolirei
Se isto for ajudar o nível do meu mar baixar
Mas eu voltarei para te assombrar seu eu me afogar
Eu engolirei
Se isto for ajudar o nível do meu mar baixar
Eu respirarei fundo
Mas voltarei para te assombrar se eu me afogar
Eu não quero ser uma lenda, Não.
Oh, Isto é uma maldita mentira, Eu quero
Para dizer que eu faço isso pelas pessoas
Eu admito é raramente a verdade
Você me diz que esta tudo bem
Como se fosse algo que você passou
Você pensa que este tormento é romântico
Bem, não é
Exceto pra você
Vinte anos,
Afundando lentamente
Posso confiar em você?
Mas eu não quero.


quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A Razão e a Emoção

E a porta rangeu, um ruído agudo, como um grito, e cortou o silencio que guardava a noite. Aproximou-se devagar da cozinha, sua esposa estava lá, sentada no chão, segurando a faca, chorando, ao lados dos temperos. Ela estava sangrando.

-O que você fez?! - Dizia ele com certa raiva
-Eu o matei... - Murmurou Ela
-Nosso filho... - Caiu de joelhos
-Eu não pude aguentar... Ele nos fez sofrer.
-Cedê ele?! - Pegou a esposa pelo cabelo - Cadê?! - Bofeteou a sua face - Onde ele está?! Sua louca! Maluca!!
-No mar...Ele morreu...- Ela chorava.

Ele saiu da casa, foi em direcção da praia, procurar sua criança. Sua esposa, continuou a sangrar, logo morreria.
Na praia ele caiu de joelhos.

-Onde Está você meu filhos? Volta pra mim! Por favor...
Nada aconteceu, nada respondeu, e a cada grito que Ele dava, mais se cansava, a noite não permitira que ele quebrasse seu silencio misterioso, a noite seguia a silenciar.

Ele voltou para casa, ignorou o cadáver na cozinha, seguiu para o quarto, pegou o isqueiro de seu pai e o pôs a incendiar a cama, e sob ela deitou.

Em seu deliriu ele sentia o prazer das noites com sua mulher, e da alegria que seu filho o proporcionava, mas quando a dor o atingia, ela atacava todos os seus pontos, e as más memorias voltavam, a morte de seus pais, o corpo de sua esposa na cozinha e seu filho no mar. E em seus gritos de dor liberava sua loucura, mas não conseguiu se livrar dela, morreria lá, carbonizado e louco. As labaredas voaram, se espalharam por cada cómodo da casa, e lá ele morreu, em um inferno flamejante.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

I miss you...

Não foi preciso muito, e tu conquisto aquilo que eu tanto guardei...Meu coração...

Você transformou todas minhas dores e sofrimentos em memorias que vão ser apagadas com o tempo, e amplificou todas minhas alegrias...

Você fez minha noite mais escura e nefasta em radiantes e felizes dias...Basicamente...Você nunca me deixou cair...

Você tem sido meu anjo da guarda, que me aconselha e que se importa...

Você veio como se fosse uma onda forte vinda do mar... Levando tudo e causando confusão, e quando você apareceu, foi como minha cabeça ficou, confusa.

Você me faz ter motivos para acordar de manhã e durmir a noite...Ter motivos para respirar e para sorrir...

Você me torna mais forte, como uma espada bem amolada na mão de um bom espadachin.

Você faz meu coração bater rapido e ritmado, como uma orquestra, e feliz, com a inoscencia de uma criança que da seus primeiros passos...

Basicamente, você faz cada dia meu Sol parecer mais amarelo e minha noite mais misteriosa...

Você me faz ir além e esquecer dos meus limites, ter força e ser determinado...

Espero que não esqueça nunca, daquele que te amou incondicionalmente e que jamais te esquecerá...