quinta-feira, 23 de julho de 2009

Richard.

Tocam as lâmpadas
Sentem o calor
Sofrem com a queimadura
Inocência pura.

Querido Richard onde está?
Sua mãe está esperando você chegar
Querido Richard onde está?
Você ainda pertence a esse mundo?
Você ainda vive aqui?

Richard correu
Fugiu
Richard se escondeu
Richard sumiu

Seguiu seu próprio destino
Desapareceu
Sua mãe ficou louca
A realidade na porta bateu

Richard partiu
Sim, se foi
Richard partiu
Richard Morreu.

As sirenes quebravam o silencio
O celular vibrava na mesa
As luzes da cidade clareavam a escuridão
O corpo balançava no banheiro

Richard se foi, partiu,morreu
"Mamãe", você ficou sozinha
Seu filho não vai voltar
Não adianta esperar.

Mamãe fugiu,se foi
Mamãe morreu, se matou
Seu corpo boiá
Sua alma se esvai.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Cem Cortes.

O vendo sopra enquanto se lembra o que passou, sorrisos, lágrimas, manhãs de sol, tardes chuvosas, o céu estrelado, a neblina...Nunca ver a neve.
Vejo uma criança correndo pelo pátio, brincando em sua "motoca", caindo e ralando o joelho, vejo os pais desta lá, indo cuidar de seus ferimentos...Felicidade? É sempre bom quando dura.
O coração dói quando as palavras o penetram:"separa,separa,separa". Essa maldita palavra e todos seus sinónimos e antónimos. Quando o contrario vinha, era automaticamente o pressagio que aquelas palavras iriam se repetir.
E nesse vai e vem, o coração ia indo
Cem cortes, um em cada canto, dilacerando e transformando em uma pasta todos os sentimentos. Cem cortes, para deixar sem corte o que se tornou cortado.
Sem duvida, uma dor pior do que qualquer outra. Dor é um sentimento? Não...É uma saída de emergencia, para garantir que tudo que sentimos é real, que se está preso a certas regras e principalmente: para se sentir vivo.
Vida é uma dadiva, de um curto periodo de tempo, claro, se comparar com outras coisas que vivem muito, como as tartarugas ou o plastico.
Dispensar esse presente não é uma escolha sabia, entretando, mante-lo é uma grande responsabilidade. E em cem pedaços, é impossivel. O que sobra da vida? Do coração? Estilhaços...Depressão.
Deprimir é como estar morto em vida, sente a vida, mas sente-se morto. Tentar trazer a vida de volta, sorrir, é como reviver só para re-encontrar a morte. E então a morte mostra sua face no fechar do labios, se volta para o posso humido e escuro, escondido, para que ninguém lhe ache.
Cem cortes, apenas sem cortes, e a "vida" acaba.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Morte.

Demonstre força, mate seus sentidos, iluda-se.
De poder a si mesmo, cria suas regras, conspire, anule as outras leis.
Jogue seu jogo, viva sua vida, ame a si mesmo, sinta a propria dor.
Libere a propria furia, viva de si mesmo, beba do proprio veneno.
Morra.

Seja devorado, decomposto, levado
Destruido,rasgado, beliscado, queimado.
Ignorado,esquecido,esvaziado
Desapareça.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

How Original.

A Magia da tensão: motivação, pressão = depressão.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Ficção.

Abro os olhos e é difícil encarar
A realidade dura onde preciso morar
Uma sabia amiga tentou me dizer
Que viver de mentiras dava mais prazer

Na pressa de existir encarei como mentira
"Louca, sádica, maluca, vadia"
Mas pensando bem, ela tinha razão
Prazer mesmo é ter desilusão

E de galhos e gravetos eu vou vivendo
As vezes ganhando
As vezes perdendo...

domingo, 5 de julho de 2009

Notas de rodapé

Eu sinto...Sinto incompleto...Sinto vazio...Sinto morto...Sinto traído...
Eu vejo, vejo com os mesmos olhos que choram, que cerram...
Eu falo...Com os mesmos lábios que sorriem e que beijam...
Eu me perco...Com a mesma energia que eu me encontro...

Mas...Eu nunca me encontro...
Quem eu sou?
O que eu sou?
Para que eu existo?
Por que eu existo?!

Eu não sou nada...
Nunca serei nada...
Nunca fui nada...
Eu não existo...
Nada existe...

Eu existo.